Posted by Bruno Rodrigues Categories: Marcadores: , ,
Lançamento do 2° Cd da banda Lopes (2010).



NÃO! Antes de qualquer reflexão, o rock cuiabano não está em crise. Pelo contrário, nunca existiu uma agenda de eventos tão repleta e diversificada como a que temos visto de um ano e meio até a atualidade. Basta uma rápida pesquisa pra perceber que todo fim de semana (quinta, sexta e sábado), acontecem dois ou mais eventos. Isso porque estou falando exclusivamente das bandas autorais. Se fosse incluir o circuito dos barzinhos, onde artistas também tocam rock, os dados seriam mais surpreendentes ainda.

Para se ter uma idéia, acabamos de concluir o mês 4 e, até o presente momento, foram registrados no blog da OCT cerca de 17 cartazes de eventos com bandas autorais, o que totalizam aproximadamente cerca de 100 shows! Apesar de o registro contemplar provavelmente cerca de 60 % dos eventos que aconteceram, de fato, do início do ano pra cá, mesmo com essa informação, dá pra notar que nenhum fim de semana passou em branco. E o mais interessante é perceber quem são aqueles que produzem todos esses eventos: bandas, novos e antigos produtores, Casas-de-Show, etc. Especificamente falando, esses eventos acontecem no Cavernas Bar, Canelas Bar, Casa Fora-do-Eixo, na UFMT e em praças públicas, como a Pista de Sk8 do Ginásio do Verdinho. As bandas, coletivos, produtores ou agentes, pelo menos os mais conhecidos, que têm organizado diretamente essas ações são: O.C.T., Cachorrão, Fábio Boretti, Lopes, Zortin Produções, Branco ou Tinto, Tiasques e Rock Girls. Sobre a publicidade dessas ações, podemos dizer que em sua maioria, acontecem pela internet, Orkut, Facebook, e-mails, sites ou blogs. Atualmente, os principais veículos de divulgação de todo esse cenário, são os sites www.meupalco.com.br e o blog www.operacaocavalodetroia.blogspot.com . E até mesmo temos bandas que se desenvolveram dentro do rock cuiabano ganhando visibilidade pra todo o Brasil, que é o caso do Branco ou Tinto, que acabou de estrear na MTV Nacional do Video-clipe “Presente de Grego” (Até aqui, não me parece que estamos passando por uma “crise”... ).

Todo esse cenário atual, que resumi rapidamente (para o texto não ficar cansativo), por incrível que pareça, era bem diferente há menos de dois anos, quando a cena autoral cuiabana estava polarizada entre aqueles que eram favoráveis ao modelo de trabalho do coletivo “Espaço Cubo” e aqueles que discordavam - entre estes a OCT. Naquele contexto, salvo em raras exceções, todos os eventos de rock autoral, divulgação de novas bandas, divulgação da própria cena, aconteciam em torno dos dois pólos. Poderia fazer aqui uma longa lista, por exemplo, dos pontos de discordância entre a OCT e Espaço Cubo, de todas as bandas que surgiram nesse contexto e de todos os eventos importantes que aconteceram, já que fiz parte ativamente, enquanto vocalista da Pleyades/Tiasques e membro da própria OCT (que surgiu no inverno de 2008), de tudo que aconteceu. Mas penso, apesar da importância de tudo que foi debatido naquele momento, que o mais importante seja pontuar que o que estava em questão era a “viabilidade” de um modelo de trabalho.





As agitações da cena rock presente nas eleições municipais de 2008...




Não me recordo ao certo como aquele debate (que em algumas circunstâncias se tornou uma guerra virtual, física e quase parou nos tribunais) esfriou, mas cada parte seguiu seu caminho e então surgiram outras “partes”. O Coletivo Espaço Cubo mudou sua sede para SP (me corrijam se estiver errado) e a OCT, que antes foi uma “Cooperativa de bandas”, passa por uma transformação no sentido de virar uma “Produtora Cultural”... De qualquer forma, estamos diante de algo irreversível: a cena 2010/2011 é outra e, no meu entender, maior, com mais agentes e pessoas interessadas em fazer as coisas saírem do papel – e não estou falando de adolescentes que acabaram de conhecer o rock, mas de gente “calejada”. Entretanto, é confusa, não sabe de onde veio nem pra onde está indo, e não tem nenhum “modelo a seguir”, como outrora...

Vejo reclamações de todos os lados: público reclamando que falta de evento melhor planejado, divulgado, com sequência; bandas cobrando melhores condições para apresentação, ajuda de custo ou remuneração financeira; produtores que não conseguem captar recursos públicos e privados para patrocinarem suas ações; e proprietários de Casas reclamando que o movimento ainda não é capaz de manter um estabelecimento ao mesmo tempo que uma banda é remunerada.

Dentro de toda essa discussão uma querela que tem sido constante: produtores afirmam que é impossível pagar cachê para banda que não leva público em show; geralmente, em resposta, bandas afirmam que não tomam a frente na divulgação, porque sequer irão ver a cor do dinheiro, resultando, que não se sentem motivadas para tal. Por incrível que pareça, não existe um “lado” mais certo que o outro. Tanto é verdade que sem patrocínio e público considerável, é impossível remunerar artistas, como também é que sem cachê ou ajuda de custo, a auto-estima de um artista, que investiu pesadamente para estar lá no palco, despenca para as profundezas... E aqui chegamos no ponto crucial: NÃO DÁ MAIS para o artista tocar somente a preço de “publicidade”, pois fazendo isto o mesmo está assinando a sua sentença de morte e também está contribuindo para um “circulo vicioso” que prejudica toda a rede; isso não é bom nem para o produtor, pois quando não propõe um retorno financeiro do evento para o artista, está assumindo unicamente qualquer responsabilidade do evento (sucesso ou fracasso) e isentando o próprio artista de participar, por exemplo, da divulgação do mesmo.

Nesse sentido, quero citar dois exemplos de eventos que podem nos guiar para construção de um novo “Modus Operandi”: “Festival Proclama Rock de 2010” e o “Street Rock Carnaval”. No primeiro, foram colocados ingressos antecipados à venda em dois pontos na cidade. Para cada banda também foram entregues ingressos antecipados para fazerem o que quisessem – vender, distribuir, sortear, etc. Algumas não aproveitaram, mas àquelas que foram atrás, levantaram no mínimo R$ 150,00, que pode ser considerado um início de “ajuda de custo”. Já o segundo exemplo, se deu no carnaval deste ano, também no Cavernas Bar. Uma porcentagem de 40 % do valor do ingresso antecipado foi oferecida para cada banda que participou do evento. Da mesma forma, algumas participaram da venda e outras não. O que importa, nesses dois exemplos, é o NÍVEL DE CONSCIÊNCIA dos produtores e das bandas: os primeiros, por considerarem os investimentos do artista para estar no palco e, os outros, por terem pelo menos a ESCOLHA de optarem ou não pela ajuda de custo, em vista das condições esclarecidas para todas as partes sobre como estavam sendo produzidos ambos os eventos. Claro que essas ações de nenhuma forma se comparam em tamanho às dimensões de Festivais que já ocorreram aqui na cidade, pois envolvem em sua concepção recursos bem mais “modestos” e se direcionam a um público limitado (de 50 a 400 pessoas por evento), o que é outra característa da cena rocker cuiabana atual, mas isso seria assunto para outra nota...

Um último ponto vale ressaltar: não é por acaso que os dois exemplos mencionados acima ocorreram no Cavernas Bar. Este é o bar que recebe shows de bandas autorais (experientes e novas) mais antigo da cidade. Atravessou diferentes fases e não há dúvidas que a maioria das bandas da cidade já passaram por seus palcos. Como nunca é possível agradar “gregos” e “troianos”, existem sempre alguns que reclamam de algo, mas penso que o mais importante seja VALORIZAR a continuidade do trabalho (todo fim de semana tem show) e o espaço sempre aberto. O mesmo tem à sua frente uma pessoa (Cachorrão) extremamente aberta e atenta a situação das bandas autorais. Minha banda (Tiasques), por exemplo, realizou um evento no estabelecimento no primeiro trimestre deste ano e, infelizmente, o mesmo fechou com caixa negativo, que foi DI-VI-DI-DO entre a banda e o bar! Além de tudo, precisamos também de pessoas que vistam a camisa e realmente amam o que fazem...

Finalizo, re-afirmando que NÃO ESTAMOS PASSANDO POR UMA CRISE, só estamos confusos – falo enquanto BANDA e PRODUTOR – sobre qual caminho a seguir. Por isso quero propor a todos (as) aqueles que compartilham dessa OPINIÃO, a realização de uma reunião entre TODAS as bandas da cidade, que estão fazendo um trabalho sério, independente das agremiações, para discutirmos as seguintes pautas:

- CRIAÇÃO DE MODELO DE TRABALHO COMUM PARA BANDAS ATUAIS;

- CRIAÇÃO DE UMA ENTIDADE REPRESENTATIVA DAS BANDAS DE ROCK – seguindo, talvez, inspiração no
ARARIBÓIA de Niterói/RJ – OU DE UM “FÓRUM DE DISCUSSÃO”.

Sintam-se à vontade para propor novas pautas, substituição destas que citei, dia, local, horário, etc. Apena lancei uma IDÉIA. A interação de blogs/sites é indiscutivelmente fundamental no mundo contemporâneo, mas penso que nada ainda substitui uma reunião presencial, o famoso “olho no olho”.

Um grande abraço a todos (as) e repassem essas reflexões adiante, se concordarem!
Cordialmente,

Bruno Rodrigues

* Esta nota foi escrita por Bruno Rodrigues e passou por revisão da Equipe Operação Cavalo de Tróia.

46 Comentario para O ROCK CUIABANO ESTÁ EM CRISE?

Anônimo
3 de maio de 2011 09:01

PARABENS PELA LUCIDEZ. APESAR DE PEGAR APENAS OS ULTIMOS ANOS O TEXTO FOI BEM REALISTA; AGORA É TORCER PRAS BANDAS ACORDAREM E COMEÇAREM A TRAMPAR JUNTAS.

3 de maio de 2011 09:04

Bruno, ótimo texto. Nós queremos participar dessa reunião e poder ajudar no que for necessário para o progresso sadio da cena Rad Rocker Cuiabana.

3 de maio de 2011 09:05
Este comentário foi removido pelo autor.
3 de maio de 2011 09:08

Acredito que você já disse tudo que tinha pra ser dito.
Mas acho que falta principalmente humildade e reconhecimento de ambas as partes.
Nada acontece sem o empenho de todos, tanto dos produtores como das bandas, infelizmente, de início exigências não nos levam a lugar algum, somente a cooperação e respeito entre os envolvidos pode gerar um evento legal.
Quem sabe logo logo tudo isso mude e as pessoas passem a valorizar a dedicação do movimento independente.
Como você disse, cada lado tem sua razão, mas a cobrança só cabe a quem realmente fez alguma coisa, quem realmente leva a sério, chega de trolls não é.

Abraço pra galera da O.C.T.

Dryka

3 de maio de 2011 09:54

É isso ai Bruno estamos juntos aê pra colaborar, penso da mesma forma e ainda mais, creio que é um momento unico na cena e requer que todos dialoguem afim de manter/melhorar os trabalhos em conjunto.
saudações a OCT.

3 de maio de 2011 09:55

ops assinar é necessário

Nildo

Anônimo
3 de maio de 2011 11:01

de fato o tempo das picuinhas ja foi. ta provado pra todo mundo q se o artista nao recebe nem porcentagem de portaria desanima até pra divulgar o evento.

sobre o cubo eles fizeram muitas coisas boas pra cena mas deixaram um jeito de fazer eventos q nao vira mais que é show a troco só de publicidade.

Anônimo
3 de maio de 2011 12:47

Dia para reunião presencial.
Qualquer dia da semana a noite (18:30h) no cavernas?

Alguém concorda?

VETERANO DE MUSICA
3 de maio de 2011 13:04

TEM ALGUM E-MAIL OU TELEFONE PARA QUE POSSAMOS ENTRAR EM CONTATO?

VETERANO
3 de maio de 2011 13:05

18:30 FICA DIFICIL, GALERA SAI DO TRAMPO AS 18:00

3 de maio de 2011 14:28

É isso ae Brunão... só quem participou junto com a gnt nas batalhas de 2008 sabe oq passamos e o quanto isso foi importante e determinante pra muita coisa boa estar acontecendo hoje por aqui.

Hoje em dia, a maioria das bandas tem material gravado e sabe que pode e deve lutar pelo seu trabalho sem a necessidade de seguir um ditador tirano que só pensava em sugar todas as energias de seus soldados. É possível trabalhar por conta própria, mas isso não significa trabalhar sozinho.

Parcerias sempre são bem-vindas e vc disse tudo. Temos que fazer isso tudo de maneira ordenada e organizada, isso vai ser bom para todos.

Quanto ao horário, acho q 19:30 é uma boa.

Abraços à todos.

3 de maio de 2011 15:24

É isso ai galera!
Este é o momento e é mais que propício para darmos um rumo diferente para a Cena Rocker Cuiabana.
Todos precisam disso, Bandas, Produtores e Donos de Bares do seguimento.
A proposta é interessante, agora cabe a cada um avaliar e tirar suas próprias conclusões.
Mas, o mais importante disso tudo é fazer a coisa toda fluir.
Afinal uma Classe unida evolui mais que uma Classe desunida.

Max Dias
3 de maio de 2011 16:04

Eaí pessoal, blz? Gostei da matéria Bruno, parabéns. Acho que o horário de 19:30h é muito bom. Quando será isso?

teko (fxdxo)
3 de maio de 2011 19:25

Bruno,seria muito legal!se vc fosse imparcial!mais ta puxando o saco do dog e do fabinho,vc nasceu pra ser troxa ,nimguém vai cair mais nesse bla bla de montar um coletivo sai dessa,isso foi oque sempre fudeu a cena!ta bom assim todo mundo livre!pra trabalhar da forma que bem intender,isso so vai dividir mais a cena já não bastava o pablo com seu bla bla! agora que conseguimos,a tão sonhada liberdade não vamos estragar tudo!e outra o fabio da venial é sujo com 6o% das bandas de cuiabá,no época do sindicato ele robava a gurizada,passava a perna mesmo,e agora eu teko e os ex sindicatos,queremos vossa cabeça ow seja não tem acordo!vcs irão excluir os verdadeiros amantes da cena pra dar apoio a um covarde pau rodado que já ta sujo faz hora por ser pilantra!prefiro ficar na minha,e cobrar 5 reais e mulher free e ainda rola cerva e aqua pras bandas!e outra o canelas agora vai começar dividir o lucro da portaria pras bandas!os proximos eventos já vão ser assim!ow seja essa ideia de coletivo é uma piada,porque sempre vai ter um pilantra no meio,se dizendo profissonal como o fabio pra quere ganha com o trabalho dos outros isso é fato!!!e não tem como esquecer.eu sou um cuiabano revoltado e pau rodado fdp nenhum vai pilantra comigo e meus conteranios e vai sair de boa,pode acreditar a guerra esta apenas começando!quero ver pra onde que ele vai fugi agora.porque em campo grande ele não pode nem sair nos role sinão é linxado!e o pior é aqueles que ficam babando o ovo do cara porque ele tem um som,montado com verba da secretaria! do blues em roll grana que dava pra investi na cena e o resto com suor do sindicato!acho que ia se safar né! fabinho,mais eu to aqui cara e vou foder sua vida seu safado!!!!nem que isso custe minha alma vc não vai se dar bem!vc sempre disse que cuiabano tem preguiça mais preguiça pra fuder vc a galera não vai ter!eu não to sozinho somos muitos!e acada dia crescemos mais e quando seu castelo cair ai sim teremos uma cena livre de vermes como vc!!!ai sim as bandas vão cresce porque tudo ao seu redor morre,ex.kallima,black mirror e outras mas,somente quando o ultimo impresario cair!a cena vai chegar ao tão sonhado nivel de qualidade,desejado por muitos que a amam de verdade!é isso é tudo pessoal.

3 de maio de 2011 19:45

Apoiado!
Meu apoio sempre!
Vejo todos órfãos, pela desordem, como se fosse 'cada um por si'.
Mas temos talentos espetaculares para todas as áreas, que possam colaborar. Só falta a direção.

3 de maio de 2011 20:33

Saudações a todos (as)! Quero agradecer as palavras de apoio e quero RE-AFIRMAR a NECESSIDADE de fazermos um acordo geral, INDEPENDENTE de agremiações em prol do bem comum. Somente assim os eventos terão melhor qualidade e a haverá pressão para cena crescer profissionalmente.

Sobre o comentário do Teko, acho que existiu um problema de entendimento da proposta, principalmente da proposta de criarmos uma "entidade" ou um fórum, dito por ele como "coletivo".

Não estou propondo a repetição das "antigas" entidades, que só serviam pra favorecer determinadas bandas. Não! É o contrário, estou sugerindo uma entidade, fórum ou qualquer instância que todos acharem melhor, pra FISCALIZAR esse mercado musical relacionado ao rock, que anda a passos de lesma. Blábláblá é ficar olhando pra trás, chorando as pitangas e tentando criar picuinhas quando ninguém mais tem paciência pra isso, como a tua história com o Fabinho e Cachorrão - assunto que nem quero me envolver... Aliás, os mencionei porque vi de perto o trabalho que dei como exemplo. Se tivesse visto de perto o teu trabalho, provavelmente te mencionaria também. Isso não é parcialidade, é racionalidade... Jogo com as cartas que tenho nas mãos, não fico inventando factóides...

A cena cuiabana, em relação a outros gêneros, é pequena, e se continuarmos com essa mentalidade de nem ao menos discutirmos um "modelo de trabalho" pra todo mundo, vai ser menor ainda. Já somos uma formiga e se continuarmos nesse ritmo nos tornaremos partículas atômicas...

Pra finalizar, a proposta não é a criação de um partido ou algo do tipo. Todo mundo vai continuar com seus projetos, seus espaços e suas metodologias, entretanto, existirão alguns acordos maiores que assegurarão, de acordo com o que a maioria irá achar, o crescimento mútuo.

3 de maio de 2011 20:37

Sobre data, local e como podemos fazer a reunião, ainda não tenho uma proposta, mas penso que esta deva acontecer o mais rápido possível.

Quem se propõe a sugerir algo?

Essa proposta que joguei não foi pra determinado grupo de bandas, mas para todas. Repito, não é pra lavação de roupas, é pra discutirmos o nosso "trabalho", propriamente dito.

Anônimo
3 de maio de 2011 21:54

O pior de tudo!é que o teko tem razão!por mais que seja dificil aceitar um bosta ter razão!

Fernandao BxM
3 de maio de 2011 22:25

Eu Fernando vocalista da Black Mirror.
Estou mega revoltado, pois o Alex Lima (Teko) vive colocando o nome da minha banda como paga pal de flulano , siclano
Porra apenas tenho uma banda, toco com ela e fortaleço a cena local.
agora por briguinha pessoal, o cara vai fica manchando o nome da minha bana? sacanagem eim.

jogo baixo

C.
3 de maio de 2011 23:16

TEKO JÁ ESTÁ ERRADO SÓ DE COMEÇAR A ESCREVER. SÓ QUER 15 MINUTOS DE FAMA... MAS NEM PRA DISCORDAR SERVE.TSC TSC

Natalya
3 de maio de 2011 23:26

curti mais a ideia do forum e a proposta de reunir todo mudno pra fiscalizar o mercado é ótima.

Sobre quem acha que nao rola, sou daquela velha opinião: quem nao ajuda não atrapalha.

***

4 de maio de 2011 01:01

Achei interessante, por isso decidi participar do "forum" para ouvir ou saber quais as proposta de modelo de trabalho. Em quanto ao horário, 19:30 hs é interessante. Apenas nos informar o local!

@RadRockerCBA - @Emsguerreiro - @LOrdCrossroad

4 de maio de 2011 01:02

Achei interessante, por isso decidi participar do "forum" para ouvir ou saber quais as proposta de modelo de trabalho. Em quanto ao horário, 19:30 hs é interessante. Apenas nos informar o local!

@RadRockerCBA - @Emsguerreiro - @LOrdCrossroad

teko (fxdxo)
4 de maio de 2011 02:03

"mega revoltado"vai toma no seu cú fernandão!que merda de rocker que vc é?toma postura de homem e desce aqui em casa e fala comigo!vc é um baba ovo mesmo!com força!vc sabe porque eu to falando isso!intão vem aqui que falo na sua cara,que vc é um safado!2 caras!

Edoupravoce
4 de maio de 2011 02:31

tá com cheiro de RATO isso aqui.

teko fxdxdo
4 de maio de 2011 09:04

BRUNO nao me xinga, O QUE É
partículas atômicas ??

Anônimo
4 de maio de 2011 10:10

TEKO ESTÁ COM MEDO DE FISCALIZAÇÃO POR QUE??? QUE NÃO DEVE NÃO TEME.

PARABÉNS PELA PROPOSTA BRUNO E OCT.

SxO
4 de maio de 2011 11:08

Darth veider, lex luthor, lula molusco e etc...

Acho uma boa ideia, a ´´cena´´ ta precisando de uma organizaçao mesmo... Só marcar que tentremos dentro da possibilidade marcar presença.

Anônimo
4 de maio de 2011 12:50

até que enfim alguem falou a verdade sobre esse tosco do fabinho!!!
e ainda tem mais.
fiquem esperto garotada.

Anônimo
4 de maio de 2011 13:01

hahaha é sempre assim, RINHA DE GALO!
cabeças pequenas , nunca vão pra frente, tanto em som quanto em produção de evento. bandas acordem façam seus proprios eventos. ficar dependendo desses q nem querem conversar , tem q ser do jeito deles e pronto ahh pro inferno. invistam em seus equipamentos e façam. foda-se o resto!! e o mais importante grave o seu som independente de qualquer coisa, se puder vá embora de cuiabá aqui ñ vira. só vira lambadão , sertanojo, pagode, e claro bandinhas paródias q só fazem as pessoas darem risadas e não tem nenhum conteúdo nenhum, dake a poco gurizada ta vestindo fantasia de gurila ae, ñ duvido nda! Cuiabá só Loser débis mentais

teko fxdxo
4 de maio de 2011 13:58

saca, eu vo donima eça parada aqi de cba mano, tdo vai ser meu, nao quero pobremas ta ligadao, ja era meu, vce perdeu, é td meu, é VG comandando a rell sity ta ligado, é eu e meus manos la do morro do macaco do quiabo melado verde saca, ja era te endi é o fim saca, acabei di compra um cubo fender e agora vo compra um ximbau pro meu cet case saca.

The Menthe
4 de maio de 2011 14:50

Fiscalizar o mercado musical? Quem vai fiscalizar? E para quê vai fiscalizar? Pra começo de conversa. ô proposta atravessada!

4 de maio de 2011 15:26

Nós somos partidários da Opinião da OCT e se for para o bem da cena, nós seremos parceiros dessa ação. Por isso somos a favor da reunião inicial, sendo assim poderemos ouvir as propostas, discutir e enfim, participar ativamente da cena, construindo um novo cenário de Rock em Mato Grosso. Estamos em outros tempos, pessoal, vamos ajudar a construir essa cena, vamos ser independentes, porém, imparciais e acima de tudo ativos!
Vamos fazer juntos!?
@RadRockerCba

4 de maio de 2011 17:13
Este comentário foi removido pelo autor.
4 de maio de 2011 17:15

Nossa!desculpa ai pessoal mas o teko só fica falando merdas, eu acho que ele deveria se preocupar mas com a ortografia dele pois ele escreve tudo errado.E na ma minha opinião a cena de cuiabá esta precisando de uma fiscalização mesmo apesar dela esta muito movimentada e toda semana tem eventos para o público.

ESSA É UMA IDÉIA VALIDA A TODOS.

ATT..
JUSEMAR (JÓSA)

4 de maio de 2011 18:05

Tem gente que é tão mal intencionada que nem sequer tem o trabalho de ler a nota e já vai direto para a parte dos comentários, para falar groselha, como o tal de "The Menthe". Se você, meu caro, tivesse se dado ao árduo trabalho de tirar cinco minutos do seu ocupado dia pra ler e depois responder, teria sido um "estorvo" mais incômodo... mas já que você falou, quando falo de "fiscalização", me refiro a um meio de pressionar o crescimento mútuo de todos. Esse meio pode ser escolhido nessa primeira reunião ou no fórum proposto.

Particularmente, sou favorável pela criação de "Selos de qualidade", para eventos e bandas também. Por exemplo, evento que paga cachê, ajuda de custo ou porcentagem da bilheteria, tem boa infraestrutura e é bem divulgado, ganha "Conceito A" pelas bandas. Banda que têm video-clipe gravado, bom material gravado, têm um histórico de shows consideráveis em eventos de grande visibilidade, etc, da mesma forma, recebem conceito "A", de repente por uma curadoria formada por representantes de sites, estúdios e produtores.

Enfim, tem muita coisa pra ser discutida. Vou REPETIR pra ninguém ficar colocando palavras em nossas bocas: não estamos propondo a criação de um PARTIDO ou filiação a organização X ou Y. Só estamos propondo uma reunião entre todos pra sabermos se existe a possibilidade de padronizarmos a lógica desse "pretenso mercado" onde estamos inseridos. Só isso!

Ninguém mais tem saco nem idade pra ficar discutindo a vida de fulano e sicrano.

4 de maio de 2011 18:05

Tem gente que é tão mal intencionada que nem sequer tem o trabalho de ler a nota e já vai direto para a parte dos comentários, para falar groselha, como o tal de "The Menthe". Se você, meu caro, tivesse se dado ao árduo trabalho de tirar cinco minutos do seu ocupado dia pra ler e depois responder, teria sido um "estorvo" mais incômodo... mas já que você falou, quando falo de "fiscalização", me refiro a um meio de pressionar o crescimento mútuo de todos. Esse meio pode ser escolhido nessa primeira reunião ou no fórum proposto.

Particularmente, sou favorável pela criação de "Selos de qualidade", para eventos e bandas também. Por exemplo, evento que paga cachê, ajuda de custo ou porcentagem da bilheteria, tem boa infraestrutura e é bem divulgado, ganha "Conceito A" pelas bandas. Banda que têm video-clipe gravado, bom material gravado, têm um histórico de shows consideráveis em eventos de grande visibilidade, etc, da mesma forma, recebem conceito "A", de repente por uma curadoria formada por representantes de sites, estúdios e produtores.

Enfim, tem muita coisa pra ser discutida. Vou REPETIR pra ninguém ficar colocando palavras em nossas bocas: não estamos propondo a criação de um PARTIDO ou filiação a organização X ou Y. Só estamos propondo uma reunião entre todos pra sabermos se existe a possibilidade de padronizarmos a lógica desse "pretenso mercado" onde estamos inseridos. Só isso!

Ninguém mais tem saco nem idade pra ficar discutindo a vida de fulano e sicrano.

The Menthe
5 de maio de 2011 06:14

Eu li TODO o teu maravilhoso texto e inclusive as atrocidades contra a língua portuguesa cometidas pelo teko (fxdxo)... Fico decepcionado por me atacares dessa forma... Não ficas longe do teko. Só fiz algumas perguntas sobre coisas impertinentes que não vi no texto e respondestes.O que me impressiona é como alguém que quer "discutir" aja dessa forma. Agora tem mais essa de selo de qualidade pra regulamentar o mercado. Tinha mais algumas perguntas mas, deixa quieto. Não vale a pena, pois quando és questionado pensas que as pessoas têm más intenções... Eu tenho boas intenções,mas já que determinastes que não tenho, passar bem. Conheço alguém que agia dessa forma na cena até um par de anos atrás....Torço para que alcances teu objetivo.

Bruno Rodrigues
5 de maio de 2011 11:21

Primeiro, você vem a este espaço falar como anônimo. 90 % dos anônimos que comentam nos blogs, querem falar merda e saírem fora. É assim que acontece e sempre aconteceu desde que o rock na cidade passou a ser divulgado por blogs e sites.

Segundo, você fez perguntas e em seguida deu sua opinião dizendo que a proposta era "atravessada". Por você ser anônimo (nem todos falam merda) lhe chamei de anônimo e, em seguida, rebati tua colocação, pois de acordo com a forma que se expressou, deu a entender que não havia entendido o que falei.

Então por isso é importante ressaltar: NÃO ESTAMOS PROPONDO A CRIAÇÃO DE UM PARTIDO OU FAVORECIMENTO DE NINGUÉM. Basicamente, queremos reunir todo mundo e ver o que podemos fazer coletivamente, cada um com sua individualidade, para melhoria de todos.

Enfim, sinta-se a vontade pra expor suas idéias...

Bruno Rodrigues
5 de maio de 2011 11:22

Errata no segundo parágrafo: "Por você ser anônimo, lhe chamei de 'estorvo'..."

Anônimo
5 de maio de 2011 17:41

Teko como sempre falando bucha...eh merda msm..

Anônimo
6 de maio de 2011 15:40

Concordo com a proposta do Bruno, principalmente com o fato de que devemos discutir muita coisa ainda e olho no olho. Gostaria, se possível, que você (Bruno) me informe caso horário e local da reunião seja decidido (estou com dificuldades para acompanhar o blog). A cena pode até não estar em crise, mas falta PARCERIA entre a maioria das bandas. Falo isso em meu nome e em nome da minha banda.

Picco - Mad Sozen - @matheus_picco

Anônimo
6 de maio de 2011 19:30

É difícil observar por este ângulo,com propostas antipartidarismo sendo que a realidade e bem difente, mesmo que a intenção seja boa.

Anônimo
6 de maio de 2011 19:30

É difícil observar por este ângulo,com propostas antipartidarismo sendo que a realidade e bem difente, mesmo que a intenção seja boa.

9 de maio de 2011 07:59

Ok galera, vamos ser propositivos? Que tal uma LISTA DE PRESENÇA para a reunião?

Vendo os comentários aqui e no site Meu Palco, vi que as pessoas que se manifestaram são favoráveis a uma reunião ampliada, entre bandas, produtores, casas, pessoas interessadas, sites, etc (Também acho a idéia mais interessante). Então para termos uma noção real do que vai ser essa reunião, sugiro que façamos uma lista entre os interessados.

Vou iniciar com as pessoas que se mostraram interessadas pela net:

1 - Bruno Rodrigues (Tiasques/OCT);
2 - Matheus Picco (Mad Sozen);
3 - Max Dias (Neptunio);
4 - Wellinton Moraes (BOT);
5 - Luciano Maelher (OCT);
6 - Jósa Souza (Base Oculta/OCT);
7 - Emerson Guerreiro (Rad Rocker);
8 - André Brasil (Rad Rocker);
9 - Nildo;
10 - Caio B. (Males de Anto/OCT).

Continuem...

9 de maio de 2011 10:32

rsrsr... Como sempre o (Teko) causando suas revoltas. Em partes temos o direito de negar, mas em partes também temos o direito aceitar a idéia. O fato de um fórum vem a fortalecer a idéia de um movimento (mesmo que underground) unido e coeso, claro que discutir política cultural em público não é para qualquer um é do para quem entende o que é, e para que serve a tal entendo que o Teko tenha medo de mostrar em público que não entende nada da tal, passar vergonha em meio a todo mundo é foda! Mas se não sentarmos e discutir o que precisamos realmente como movimento underground ficaremos sempre a beira do sistema, mas por outro lado o movimento underground sempre foi contra qualquer forma de sistematização política. Ai então cairmos no tal ponto, em dias atuais musica e cultura já fazem parte da política e como formadores de opinião temos o dever de nos unir e dizer o que realmente pensamos como política cultural.

Em anos e anos de Fórum até hoje todas as tentativa foram transtornantes, mas podemos usar exemplos como " Fora do Eixo " não querendo puxar o saco mas não podemos negar que podemos usar isso como exemplo e tentar parar de dar soco em ponto de faca, não estou dizendo para que nasça uma copia mas quem sabe amadurecer e ver o que realmente pode dar certo. Agora o que voz falta senhores é maturidade para aceitar as diferenças e trabalharem unidos afinal estamos falando de bens culturais pró público e não mais pró umbigo!

Materias

Comentarios

Sponsors