Posted by cavalodetroia.blogspot.com Categories: Marcadores: , ,


A reunião contou com representantes das bandas Raiva em Paz, Pleyades, Partenza, Malord, Menorah, High School,Karrascos, Vitrolas Polifônicas, Zortin, Pé-Rachado e os Porras Lokas e (pela primeira vez) Lord Crossroad. Antes do início houve uma rodada de apresentação entre todas as bandas. Foram então sugeridas três pautas: (1) Consolidação interna; (2) Estatuto; (3) Próximos eventos.

Ao início da primeira pauta Bruno Rodriguês (Pleyades) fez uma descrição para todos os presentes sobre algumas divergências internas que poderiam virar uma bola de neve e implodir a organização. Foram abertas as inscrições. O primeiro a se inscrever foi Bruno Coringa (high School). Este destaca a necessidade das bandas terem uma vida pessoal (respeitada), agendarem e correrem atrás dos seus shows (coisa que High School vem fazendo). Em seguida, Carlos Benjoino (Raiva em Paz) afirma que o que interessa para a OCT são as ações da banda dentro da organização. Cada banda tem que ser soberana em seu espaço pessoal. A organização não pode dizer aonde tocará ou não tocará, mas dentro dos limites da OCT a banda tem que se empenhar como todas as outras. Defende ainda a divulgação de eventos de Institutos com compromissos sociais. Em seguida Bruno Rodriguês (Pleyades) afirma que onde banda da OCT estiver, tem que ser divulgada. Destaca que os únicos espaços de deliberação são as reuniões. Ninguém fala pela OCT sem passar pelo aval de todos. Dentro da OCT, para maior objetividade na execução das ações planejadas, os problemas pessoais de uns e outros têem que ficar de lado. Logo após a fala de Bruno, Mr. Barney (lord Crossroad) comenta que a OCT tem que seguir em frente e deve se preocupar com melhor qualidade nos seus eventos. Pedro (High School) afirma, posteriormente, que o foco das preocupações da organização, não deve ser os eventos organizados por outros setores da cena, mas que devemos respeitá-los e procurar fazer com êxito os nossos. Marcelo (Pé-Rachado), reafirmando a fala de Pedro, diz que devemos nesse primeiro momento, organizar eventos, arrecadar um capital de giro e colocar em prática um modelo de retorno financeiro para as bandas. Posteriormente, Bruno (Pleyades) enfatiza que a OCT não nasceu para polarizar com outros setores. Mas nasceu para ocupar um espaço que era possivel e necessário para o crescimento das bandas. Benjoino (Raiva em Paz), defende que tudo tem que ser resolvido dentro das reuniões e que na OCT não deve haver um “cabeça-premiada” que manda e desmanda. Kelen (ex-assessora do Pleyades) diz, em seguida, que se uma banda organiza um evento, o que não pode fazer mais de 10 bandas. Finalizando a pauta, Bruno (Pleyades) defende a formalização de funções dentro da OCT. Cada banda que está dentro da OCT deve se enganjar em alguma função. Afirma que na apresentação do estatuto, há um capítulo específico sobre as frentes da OCT. Adiantando, descreve como será proposta essa divisão: Assessoria de comunicação, Coordenação de eventos, Coordenação de produção e distribuição de bandas, Articulação política e equipe de sonorização OCT. Tal formalização evitará que as funções da organização fiquem acumuladas para um número restrito de pessoas. Se na OCT todos decidem diretamente, todos devem ter responsabilidades.

Logo depois da discussão de tal pauta, Bruno (Pleyades) informa que o Estatuto já está em construção e que na próxima reunião todos já poderão apreciar a proposta. Tal estatuto será votado em assembléia. Será o “cartão de visitas” da organização. Toda banda que pretender engressar na OCT terá que ter um contato com o Estatuto. O Estatuto estará disponível ao público em todos os veículos de comunicação da OCT.

A terceira pauta – próximos eventos – foi informativa:
1 – Rock Parque – Segunda feira a OCT terá uma reunião como Presidente de Bairro do Parque Cuiabá para fechar o dia e uma parceria definitiva da Cooperativa com a Associação de moradores do Parque Cuiabá;

2 – Rock na pista – Está quase fechado para o dia 8/3 (sabado) das 17 as 22hs. Falta definir a lista de bandas que se apresentarão e as estratégias de divulgação do evento;

3 – Intervalo OCT:
– High School no Colégio Master ;
– 15/2/ Pleyades no Colégio Master dia 22/2;
- A banda Malord já fez os primeiros contatos com a direção do Colégio São Gonçalo. Bruno (Pleyades) se responsabilizou de encaminhar um e-mail para a direção da escola descrevendo o projeto e os objetivos da Cooperativa;
-A banda Vitrolas Polifônicas já fez contatos na CEFET para OCT. A OCT terá uma sexta por mês. Falta definir a data de apresentação e a banda do mês.

4 – Coletânea – Carlos Benjoino (Bidú) está recebendo por e-mail um faixa de cada banda da OCT para montagem da Coletânea. As bandas da OCT que ainda não estão com material gravado, deverão procurar a banda Menorah, pois esta está inaugurando um estúdio de ensaio e gravação em VG a preços “especiais” para bandas da OCT.

Concluindo as discussões, foi feito um levantamento de tudo que foi proposto e consensualmente foram aprovados os seguintes pontos:
1 – Cada banda tem sua vida pessoal garantida dentro da OCT;
2 – A OCT terá o compromisso de divulgar todos os Workshops na Cidade, pois estão diretamente relacionados com a “formação” das bandas;
3 – A OCT sempre terá um diálogo aberto com Institutos de compromisso social, estando abertos todos os veículos de comunicação da OCT para publicidade das ações desenvolvidas pelos mesmos.
4 – O caráter específico do que deverá ou não ser publicado nos veículos de comunicação da OCT (com exceção do ponto aprovado acima), será discutido na aprovação do estatuto.

No mais é isso!

*Ata por Bruno P. Rodriguês/equipe OCT e Pleyades.

JÁ ACESSOU O MY SPACE DA OCT?

1 Comentario para ATA DA ÚLTIMA REUNIÃO DA OCT - 14 DE FEVEREIRO - "CONSOLIDANDO"

Anônimo
29 de abril de 2008 20:10

Ola Eu sou Carlos Benjoino moro em Brasilia ja curti muito rock e etc, e não entendi nada quando vi meu nome aqui.
sera um homonimo se for devemos ser parentres
grande abraço.

Materias

Comentarios

Sponsors