Posted by cavalodetroia.blogspot.com Categories: Marcadores:

Matéria de boas vindas à OCT!

Sempre que lembramos um modelo de blog anti-referência, logo nos vem à memória o Hell City, vulgarmente chamado de “Hell Fuxico”. A aversão, já começa pelo próprio nome: “Hell City”, sintoma direto de toda a erudição acumulada dos vários anos de vídeo games, enlatados, e assimilação direta do que está na “modinha”, que entre outras palavras, é transformar, por exemplo, casa em “house”, inferno em “Hell”, créditos em “cards”, ou já que estamos falando de HELL, que tal a inversão de “slave” para artista igual a pedreiro? É, meus caros, não são poucas as coisas que vemos e que depois queremos ser justamente o contrário. Isso, para não mencionar a qualidade patética dos textos publicados, a qual eles enchem tanto a boca, quando dizem que “nada é copiado”, “tudo é autoral” e blá blá blá. Publicam um texto com cinco linhas e pronto, é como se tivessem acabado de criar a “Nona Sinfônia de Beethoven”! Em se tratando de Cubo e da gloriosa cadeia produtiva criada por eles, não ficamos abismados, já que para eles “artista nada mais é do que mão-de-obra barata”, uma “escada”, e que conseqüentemente, tudo que for produzido pelo mesmo, não fará diferença nenhuma, já que a arte é a última coisa que importa na CADEIA, e que mais vale um artista disposto a ser músico, roadie, técnico, jornalista (em versão cubistóide), pedreiro, bilheteiro, astronauta...ao mesmo tempo, do que dedicar-se exclusivamente ao seu ofício! E qual o resultado final dessa CADEIA? Arte descartável, “artista jornalista meia-boca”, “artista roadie-meia boca”, “artista oficineiro-meia boca”, chegando ao cúmulo do “artista direitona meia-boca”! Enfim, somando todas essas possibilidades não chegamos a outro lugar senão ao AMADORISMO, do início ao fim da CADEIA. E ainda querem falar de profissionalismo, quando fazem tudo pela metade. Para eles, falar que um músico deve se dedicar ao seu instrumento é a mesma coisa de cometer uma heresia, digna de “fogueira”! Mas retomando a difícil saga de caracterizar o “Hell”, e todas as mentes maquiavélicas que estão por trás, o ponto crucial de tudo, dentre os vários, é seu histórico nefasto, de que provavelmente nem mesmo eles devem se orgulhar. Neste ponto, gostaria de dar uma atenção bem destacada.

Fazendo uma rápida pesquisa, nem foi tão difícil de identificar o que estou falando insistentemente acima: calúnias, fofocas, difamações, contradições e muita, mas muita demagogia mesmo!!! Vamos a alguns exemplos práticos do que estou falando, e como “mentiras têm pernas curtas” e como “uma imagem vale mais que mil palavras”, que sou eu para dizer o contrário, né?

1 – Caso Lord Crossroad: Vamos analisar em duas etapas: (1º) quando estava ligada aos empresários do Espaço Cubo; (2°) e com relações cortadas com os mesmos.

Na primeira, a banda tinha tudo para ser a grande revelação do rock nacional. Charlinho era o “cara da performance” em palco e suas músicas eram extraordinárias. Bastou questionar o presidente da empresa, alguns o chamam de o DONO DO ROCK CUIABANO, que logo foi desmoralizado, taxado de incompetente, lunático, e outros adjetivos que nem cabe repeti-los aqui, de tão repugnantes.

Etapa 1 – “A” banda!


Etapa 2 – “O vírus”


2 – Caso Danilo Bareiro: até Danilo ter seu desentendimento pessoal com Ahmad, era um herói. Depois, do dia para noite, virou um monstro. E o blog Hell F... , que sempre ostentou o título supremo de “democrático” (com a cara do PSDB mesmo!), cumpriu o que estava escrito na cartilha, e fez o que sempre soube fazer de melhor: difamar e coagir suas dissidências. Nas imagens abaixo, primeiro a matéria, depois um exemplo do que foi o teor dos comentários, que foram cerca de cinqüenta (há quem diga que os grandes militantes da V... tiveram que se organizar em filinhas):

Imagem 1 – A matéria


Imagem 2 – Os comentários


3 – Caso “Metal” – As rixas com a cena das bandas, digamos assim, mais pesadas, não são de hoje! E isso vale lembrar, principalmente, quando grande parte do exército que está do outro lado,que chegou ontem na cena, acredita piamente que o Espaço Cubo inventou o rock cuiabano e de que tudo que está fora da CADEIA é nocivo... Detectei vários exemplos das grandes contribuições e AMOSTRAS democráticas dadas no “Hell F..” à “vascularização” do processo, mas socializarei aqui com todos, uma quase recente, em que um dos grandes escritores do tão sublime blogger, desqualifica os métodos adotados pela “cena metal”, e como não poderia deixar de ser, bem de longe... Aposto que se estivessem do mesmo lado, tudo seria uma maravilha, não é mesmo??? Bem, vamos à imagem:



Por que fiz questão de mencionar esses casos? Em primeiro lugar, para contextualizar qual a verdadeira finalidade de tal blog, que desde que surgiu tem se aplicado em duas coisas: eleger inimigos, e depois destruí-los. Para ser eleito “inimigo” nem precisa ir muito longe, é só discordar dos métodos, ou melhor dizendo, dos “meios”. Depois que se cruza a fronteira, aí o “eleito” já é um prato cheio para uma boa matéria no HELL, mas os mentores do mesmo não são bobos...rs; eles guardam suas cartas, e no momento em que nem as moscas acessam o pobre coitado, pronto, mais uma carta na mesa! Em segundo lugar, e quase concluindo esta primeira parte do “pequeno estudo de caso”, trago estes exemplos a fim de DESMASCARAR a aura politicamente correta, que tem sido mantida às aparências, já que os fatos a cada dia estão emergindo, e por mais “sofisticado” que tenha se tornado o discurso de seus mentores, do outro lado, a cada nova dissidência, tem sido difícil ignorar o abismo formado, isso há muito tempo, entre o discurso e a prática. Tem sido difícil não dizer que em menos de uma década de existência, já estiveram de vários lados, que hoje seus inimigos eram os amigos de ontem, e alguns que eram seus inimigos são os amigos de hoje – o que implica dizer que dependendo da “conjuntura”, que sempre será a que os manterá no CENTRO, tanto poderemos ser seus amigos, quanto inimigos. De repente, o atrelamento direto com a prefeitura, o “gostinho do poder”, lhes rendeu vários ensinamentos, dentre eles, a postura moralista, quase sacerdotal, do “politicamente correto”, o desvio de debate para ataques pessoais, ou mesmo, o ato de colocar na boca de adversários, palavras que não disseram, para depois criminalizá-los pelas próprias armadilhas que criaram – tática tão manjada quanto o próprio caráter dos mentores cubistóides!

E ontem não foi diferente! Mais um texto difamatório, calunioso, em que as velhas táticas (mencionadas acima) foram colocadas em prática em nome da defesa dos princípios empresariais, dos “serviços prestados” pelos mesmos grupos a eles mesmos, que, aliás, não correspondem nem com a metade do que fazem em propaganda, da inocência quase angelical de sua “base” (se assim a podemos chamar), da virgindade das velhinhas, etc etc etc. O texto foi tão, mas tão calunioso, que não tiveram nem coragem, como de “praxe”, de assinar, já que despejaram toneladas de acusações, de imprecisões, vunerabilidades deles mesmos, além de mostrar, até mesmo com uma de suas críticas (recortar o que interessa), como deveríamos retribuir gentilmente toda a atenção e IBOPE nos dada. Ou seja, O QUE DISSERAM POR NÓS na “versão cubistóide” de se dizer as coisas:

1 – Blog-Atas jogado às moscas;

Inicialmente, quando criamos um blog específico para atas, nossa intenção era publicar lá, todas as informações de nossas reuniões semanais. Fizemos isso no primeiro mês, além de transferirmos o estatuto para lá. Porém, misteriosamente, se dizíamos que faríamos evento em lugar “x”, repentinamente o lugar entrava em “reformas”, se dizíamos que faríamos no “y”, repentinamente acontecia o mesmo. Ou seja, nosso excesso de transparência era colírio para os olhos das “adversidades do destino”, que desde que surgimos, decretaram nosso fim. Não deixamos de ser transparentes, até mesmo por que estamos nos reunindo no mesmo lugar de sempre (IL/UFMT), mas mudamos os métodos. No lugar de dizer o que faríamos, iríamos relatar em relatórios o que fizemos no mês. No relatório do mês de agosto, abaixo do último, está bem claro isso. Como o mês de Setembro foi muito intenso para todos nós, decidimos publicar um relatório único, do mês de Setembro com o de Outubro. Antes mesmo do “Hell Fuxico” soltar aquela a primeira “pérola” em cima da OCT, o relatório já estava sendo quase concluído. Ou seja, munição perdida. Se tem blogs secundários que não são atualizados, com certeza são aquelas dezenas de blogs que vocês mantém precariamente, como as outras dezenas de logos que vocês criam dia após dia para se gabarem que representam a classe artística em sua TOTALIDADE , e como eu disse lá atrás, bem “meia-boca”.

2 – As atividades da OCT são trocar nome de banda e informar novas formações;

Mais uma afirmação perversa, resultado direto da falta do que criticar, ou de olharem para o próprio umbigo. Trocas de nomes, novas formações de bandas, são eventos sim, e devem ser reprisados. E um relatório é uma grande síntese de informes, tanto do que a organização fez conjuntamente, quanto do que os artistas fizeram individualmente. Até entendo essa tentativa de tirar o artista de “foco”, já que no caso de vocês, ele é um mero coadjuvante. Entretanto, no histórico do “Hell Fuxico”, informar troca de nomes de bandas, ou novas formações, é o que não falta:

Exemplo 1: "Maldição de Sara" muda para "Ayakan".


Exemplo 2: Mudança de formação do "The Melt".


Outra munição perdida.

3 – OCT pega carona com Documentário, Art Underground e indicação do BOT ao Prémio Dynamite;

Mais uma acusação perversa, em que claramente o autor(a) (Para mim não restam dúvidas, somente duas pessoas poderiam escrevê-lo!), coloca palavras em nossas bocas, e depois em sua MANOBRA discursiva, tenta nos colocar contra os realizadores das outras atividades. No relatório que escrevi, não fui ambíguo, ao contrário, fui bem claro, não fomos e nem somos os realizadores ou os responsáveis por esses três acontecimentos, porém, apoiamos, direta ou indiretamente. Sendo mais claro: divulgação nos veículos de comunicação da OCT também não é participar da pré-produção? Não é levantar bandeira? Estranho, logo vocês, que sempre falam de “pré”, “produção” e “pós”... Estranho, logo vocês, que têm suas logos espalhadas até em “papéis higiênicos”, reclamarem que estamos pegando carona, que estamos nos apropriando do trabalho alheio, pois se tem uma coisa em que vocês são profissionais, é justamente nisso!

Não foram poucas as notas que publicamos no blog sobre a Indicação do BOT ao Prémio Dynamite; não foram poucas as notas em que convocamos Cuiabá a prestigiar o show do “Desaster” ; não foram poucos os puxões de orelha que demos nas organizações, inclusive vocês, e as bandas, a participarem ativamente da construção do Documentário. Aliás, um passarinho me contou que vocês até que se atentaram para isso, mas de PRAXE, tentaram dar o rumo do documentário, não conseguiram, e depois encomendaram outro: HISTÓRIA DO ESPAÇO CUB$$$.

4 – OCT não remunera bandas e bandas ex-OCT não receberam cachês e só investiram Força de trabalho na OCT;

Confesso que foi bom você ter falado isso, Sr(a)., pois isso só me dá base para dizer mais uma característica lamentável em seu discurso: forçar comparações. Nesse sentido, devemos nos perguntar, dessa vez sem ressentimentos, por que a OCT existe. Para vocês, por que os “ex-tudo”, cansaram de reclamar do Cubo e resolveram se organizar, “mesmo que sem nenhuma qualificação”. Só que aí novamente os fatos desmentem o discurso: é uma inverdade de que 90 % das bandas que passaram por aí, ou acabaram ou viraram inimigos? É uma inverdade que somente uma banda, de todas que PERTENCEM A VOCÊS (já que precisam pedir autorização até para tocarem em outros “ambientes”), consegue “sobreviver” exclusivamente de música? É uma inverdade que o restante das bandas associadas a CADEIA recebem com Cards, que no caso da minha, nunca nem vimos a “cor”? E ainda vêm falar de remuneração para OCT, quando em detrimento de quase 50, uma só é remunerada? Não entender que a OCT existe para problematizar tudo isso, não chega nem a ser miopia (verbete clássico né?), mas retrocesso mental. Reduzir a OCT a diferenças pessoais, enfim, é o mesmo que querer comparar o Espaço Cubo ao “Mangue Beat” pernambucano, ou querer comparar “Macaco Bong” à “Nação Zumbi” (risadas sarcásticas!)

Sinceramente, não creio que bandas que faziam parte da OCT, tenham falado da “falta de remuneração” nos eventos da OCT. O que acredito é que mais uma vez, o grande INQUISIDOR, colocou palavras na boca dos mesmos, e ainda as deturpou. Essas mesmas bandas que passaram para o outro lado, por exemplo, participaram ativamente das ASSEMBLÉIAS em que todos deliberamos que “tudo que entrasse de dinheiro na Cooperativa, deveria ser aplicado para a aquisição do som”, que não seria patrimônio de uma cúpula, mas de todos. Aqui, assim como aí, as pessoas investem sim, “força de trabalho”, mas ao contrário daí, é direcionado para elas mesmas.

Ou seja, quarta munição perdida!


5 - Volume faz a mesma coisa que a OCT – não propomos nada de novo;

Continuando a “forçar a barra”, a grande autora da matéria apresentada no HELL.. comete mais um ANACRONISMO: OCT = Volume. Não sei nem por onde começar, já que as diferenças são tantas as diferenças, mas vamos lá:
- FORMAÇÃO: a Volume não nasceu de uma demanda dos artistas, mas sim como um braço do Espaço C´bo. A OCT por outro lado, não nasceu como braço de ninguém, mas por uma demanda direta dos próprios artistas, alguns por insatisfação com os rumos tomados pela cena rock, outros, por falta de espaço para se apresentarem.
- ORGANIZAÇÃO: na Volume sempre teve um “presidente”. Esse presidente correspondia à totalidade da reunião. Ou seja, dava as pautas, coordenava a reunião, coordenava as falas, as deliberações, e às vezes até tinha “dedo na hora de escrever as atas” (isso que é INDEPENDÊNCIA, né?). Na OCT, é o inverso. Todos podem sugerir pautas, existem inscrições em que as pessoas podem falar igualitariamente, qualquer um pode se propor a ser o coordenador da reunião, e decisões, como apoios a eventos por exemplo, passam por todos.
- AUTONOMIA: essa característica é a mais marcante de todas, pois se por um lado tudo que é discutido dentro da VOLUME passa sob inspeção do “Espaço Cúpula”, por outro, na OCT, quem apresenta as diretrizes do que a organização vai fazer, são os próprios artistas. Se por acaso você, internauta, tiver a curiosidade de também fazer um “estudo de caso” do HELL e não ver qualquer discordância do E. Cu... sem dúvidas, não será por “mera coincidência”.

Se a OCT não está propondo nada de novo, muito menos a Volume. E por falar em “trabalho de vanguarda”, por saída de bandas de coletivos, a VOLUME poderia aproveitar e nos dizer quantas bandas ainda fazem parte dela, da lista (na imagem) abaixo:

Perceba a quantidade de bandas referenciada. Ok, hoje são quantas mesmo?
.


Bem...quinta munição perdida.

6 – A OCT está esperando as coisas caírem do céu;

Se a OCT esperasse as coisas caírem do céu, a primeira coisa, seria a queda do “E. Cúpula”!

Mais uma afirmação absurda! Bem, tudo que eu disse acima, é o contraponto direto dessa afirmação.

Portanto, sexta munição perdida.

7 – Espaço Cubo já fez 10 vezes mais evento que qualquer outro grupo da cidade;

A surpresa seria se não fizessem isso! Com o orçamento que têm durante o ano, se fizessem só o Calango e o Grito Rock, aí sim, nos dariam um grande atestado de incompetência! E é claro que têm mais opções que a OCT, mais influência política, afinal, têm cerca de sete anos, nós temos menos de um ano. É claro que terão dinheiro para financiar todos esses eventos, afinal, para onde iria então o dinheiro cobrado na portaria do Calango ou Grito Rock? Se quer fazer uma comparação legítima, comece listando todos os eventos que vocês fizeram sem dinheiro público. Aí o que sobrar, compare de igual para igual com a OCT (e nisso, por que nem estou levando em consideração os respectivos tempos de cada organização).

E pela sétima vez, sétima munição perdida!

8 – OCT também está em parceria com a Aristocracia cuiabana: Paulo Traven e Instituto Mandala;

Mais uma tentativa medíocre de nos colocar contra nossos atuais parceiros. Ora, por que o incomodo? Não foi o Paulo Traven que decretou a “morte da OCT”; não foi Paulo Traven que marcou “reuniões particulares” com banda da cooperativa pedindo que elas abandonassem o barco; não foi Paulo Traven que BLOQUEOU as bandas da OCT de se apresentarem por um bom tempo lá no Espaço Fúria; não foi Paulo Traven que trouxe Forgotten Boys para se apresentar de graça, em dia de evento da OCT; não é o Instituto Mandala que decreta o fim de bandas; não é o Instituto Mandala que escreve matérias difamatórias de outras organizações; não é o Instituto Mandala que está mamando nas tetas do Mario Olimpio! Surpresa seria se estivéssemos do lado de vocês, não é verdade? Por que ao invés de assumirem que são o grupo mais poderoso na cultura hoje, se passam ainda por “minorias reprimidas”? Seria sincero, e até um ato honesto com a própria base de vocês, pararem de se portar como se estivessem “nascendo há sete anos”, em que o cenário era outro. Contem outra, essa história de “minoria reprimida” também não cola mais.

Conclusão, oitava munição perdida.

9- Agora o estatuto prevê captação de verba pública;

Continuando a saga desdizer “o que não falamos”, temos a questão do estatuto. O autor(a) da matéria lá do HELL, ainda não perdeu a mania de criticar sem sustentação empírica, e, mais uma vez, criou uma interpretação desfigurada da OCT. Aconselho ao mesmo(a), a reler o estatuto, e dar uma atenção bem considerável ao Art. 1. Aliás, vou transcrever aqui mesmo a alínea B:

“b) Tais parcerias deverão ser sempre provisórias, a fim de que não se estabeleça qualquer vínculo existencial que possa descaracterizar o 'titulo' de Cooperativa autônoma.”

Destrinchando mais ainda, o que apenas dissemos é que não transformaríamos “recursos captalizados” em muletas, o que já é uma grande diferença em relação ao que vemos no “E. Cúpula”. Tirem o dinheiro público da CADEIA produtiva e verão até onde ela terá fôlego para seguir em frente...

Quais seriam as reais intenções de se fazer acusações infundadas como as de cima? Essa é uma pergunta que não quer calar.

Não se preocupem, já estamos chegando no fim: nona munição perdida!

10 – Recortamos as matérias da Rolling Stones e Dynamite;

Essa acusação é tão patética, que ela por si mesma, já se anula. É só olhar tudo que eles recortaram do nosso blog, estatuto, para consolidar suas acusações.

Ou seja, décima munição perdida.

11 – OCT não tem bandas que circulam nacionalmente;

Não temos banda que circulam nacionalmente, mas eu duvido muito que o “E. Cúpula” conseguiu essa façanha em seu primeiro ano de organização. Mas vamos lá, vocês colocam todas as suas bandas para circularem nacionalmente, certo? Vocês trazem trocentas bandas de fora para se apresentarem aqui, certo? Mas aonde estão essas bandas? Só vejo Vanguart (que saiu da CADEIA), Macaco Bong e meia dúzia de outros estados. E as outras trocentas que circularam? Estão esperando a vez da fama? Ou seria por que tudo que construíram, junto a grupos similares ao seu, só comporta de cinco a dez bandas? Tudo que construíram movimenta quase 1000 bandas, mas quem fica com as “fatias” são algumas unidades?

Se é esse o “modelo de circulação” de bandas pelo país que vocês, E. Cúpula, do qual tanto se gabam, podem ficar com ele, não fazemos questão, e nem temos pressa.

Tá quase lá: décima primeira munição jogada fora!

12 – Anormalidade em entidades apoiarem candidatos: Wilson fez mais pelo rock;

O apoio do E. Cúpula/volume ao candidato Wilson, não é uma questão de “anormalidade”, mas só complementa o que estou dizendo acima: “estou contigo se me convém”. Quando escrevi no relatório sobre isso, quis enfatizar que há dois anos o discurso era outro, e que inclusive muitos dos que estão lá, militavam em movimentos contrários à gestão Wilson, e quando perguntávamos a eles sobre “independência”, davam sábias lições, como “independência é escolher as bandas do meu Festival, blá blá blá”, porém, na hora do voto, para continuarem suas relações de DEPENDÊNCIAS, tiveram que abdicar do direito de não levantar bandeira. Aí falam para nós compararmos os investimentos do governo França com o de Wilson no Rock. Primeiro, que não foi um investimento no rock, mas no E.C. e em sua CADEIA ; Segundo, que a liberação do “Clube Feminino” não passa de obrigação, ou mesmo a revitalização do Silva Freire, e a contratação posterior de agentes.

Enfim, mais uma vez não admitindo seus equívocos, e isso só poderia resultar na décima segunda, e última, munição desperdiçada.

Não resta dúvida de que depois desses esclarecimentos, os cães virão raivosos, com suas acusações pessoais, com suas contextualizações tradicionais (deturpar e acusar) ou com suas comparações forçadas! Não tem problema, quem está na chuva é para se molhar mesmo!

Estas breves linhas escritas acima, foram elaboradas cuidadosamente, e confesso, já estou ansioso por ver esse “verdadeiro relatório” que nos foi prometido lá no HELL, em que haverá uma clara comparação dos “meios” utilizados por eles, com os nossos. Estou curioso mesmo: será que eles colocarão nesse relatório que foram em oito na porta da casa do Welliton, vocalista do Branco ou Tinto, agredi-lo fisicamente? Será que contarão como conseguiram excluir meu perfil no Orkut e depois o da OCT? Será que eles contarão como foram tão burros de roubar a comunidade da minha banda com o próprio perfil particular de um de seus membros, achando que não seriam descobertos? Realmente, o que sobra no fim dessa história toda, é unicamente um grande suspense!

Antes de terminar este texto, gostaria de ressaltar que o escrevi de ontem a noite para hoje de manhã, mas por respeito a toda organização, fiz questão de passá-lo em reunião hoje a noite, ouvi os destaques, e aqui o apresento. Peço desculpas por ocupar espaço deste blog que tanto trabalhou nestes últimos meses pelo protagonismo do artista, e pela proliferação de novos agentes, mas infelizmente as coisas chegaram a uma situação que tive que sair “em defesa ” de tudo que ajudei a construir nesses últimos meses. Por aqui encerro esse “desvio” de foco (que nem foi iniciado por nós), por respeito a todos os leitores do blog, que estão interessados em ver noticias dos eventos da OCT e novidades das bandas associadas. Aguardem, Novembro/Dezembro ainda terá muita água para rolar!

Um forte abraço a todos!

Bruno P. Rodrigues/Assessoria de Comunicação da OCT e vocalista do Tiasques.

22 Comentario para ESTUDO DE CASO: UMA MICRO-ANÁLISE DO BLOG HELL CITY & SUAS 12 MUNIÇÕES PERDIDAS.

1 de novembro de 2008 01:39

texto muito bem escrito, fundamentado, e ainda bem justificado.

to contigo e não abro mão bruno!

1 de novembro de 2008 08:53

Parabéns pelo post Bru!
Consosco agora sempre será assim: o ataque é a melhor defesa!

E isso é só o começo.
Em dezembro teremos o ANIVERSÁRIO OCT;
Em 2009 realizaremos FOLIA OCT, dias de ROCK N ROLL em pleno carnaval!
aguardem...

Julianne
1 de novembro de 2008 09:14

Caraleo!!!
Fiz questão de ler o post inteiro. Assim me intero dos fatos passados. A razão desse ataque não será desespero do Esp. Cub?

1 de novembro de 2008 09:45
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
metaleiro dos infernos
1 de novembro de 2008 09:48

O CARA NA FOTO É O BARNEY?HAHAHA

CABULOSA A DIFERENÇA NO CASO DO CHARLES NÉ?HAHA NA IMAGEM DE CIMA PAGAM PAU, NA IMAGEM DE BAIXO FALAM Q ELE CONTAMINOU O BARNEY!KKKK POR OND SERA Q ANDA ESSA FIGURA?

1 de novembro de 2008 09:48

Esse pessoal do site MEU PALCO, não tem um mínimo de personalidade e comprometimento com a verdade da cena.
NUm post detonam a moeda podre, no outro dizem ser simpaticos à máfia e ao 45.
E o máximo da miopia deles foi propagar as 'comparações' entre nós e eles.

Pára tudo e vai ler nosso blog atas de novo, quem sabe dae vcs entendam que isto aqui é uma cooperativa que fez em um ano tudo na raça, sem apoio algum, e mais que isso, entender que desde o princípio deixamos claro que a OCT foi criada pra existirem alternativas para as bandas, nao pra destruir nada.

Até hoje esse tal de MEU PALCO não disse a que veio. Pior que ficar em cima do muro, é estimular comparações patéticas. Deveriam é reformular o visual, conteúdo e melhor que isso avaliar o que esse site trouxe de relevante para a cidade. Por enquanto não faz a menor diferença.

1 de novembro de 2008 09:50

Pimenta no C*BO dos outros é resfresco !!!

Isso ae Bruno! Já está mais na hora d'esses pregos entrarem no pau!

1 de novembro de 2008 09:53

E tem outra:
Essa história de remover postagem é coisa de HELLSHIT!
Deixe que falem mesmo!

1 de novembro de 2008 10:25

Sugestão de pauta lá pro hell:

POR ONDE ANDA CHILI MOSTARDA?

1 de novembro de 2008 10:37

O PABLITO COME O CHABÔ
OU O CHABÔO COME O PABLITO ?????

F.
1 de novembro de 2008 12:02

De todos esses anos que estou na cena essa com certeza foi a maior avalanche de criticas em cima do cubo. ñ só o bruno subiu a montanha que era o texto do pablo no hellcity, mas botou tudo abaixo...

parabéns pelo texto!

1 de novembro de 2008 14:26

E galera não é mole não, mais sabe o que é pior disso tudo? Eles acham isso a coisa mais normal do mundo, e o mais podre disso tudo é pessoas de bom carater compactuando com isso.
Ah! tem uma novidade também, as pessoas que não trampam mais com os caras saem de lá com o mesmo discurso na boca, "Saimos de boa não somos atni" semana passada fiquei sabendo que sou um anti também.
Não compactuar com um ideal furado, é ser anti. Ah e sem flar nos improba que trampam por lá, para quem não sabe o MISC é mal assombrado, fantasmas assombram aquele lugar.

Jeovanildo Dias - Instituto Mandala

1 de novembro de 2008 16:44

Ae bruno vc falou tudo.

2 de novembro de 2008 14:30

Pra ser sincero, eu nem li o texto do hellshit... mas tá na cara q o "Mikha" n tem capacidade intelectual para escrever esses textos, é óbvio q foram outras (ou outra) pessoas que escreveram e deram para a editoria assinar.

O outro texto q postei no forum permanente rendeu uns comentários engraçados... tipo, os caras falarem q o blog é imparcial, mto coeso e nas entre-linhas, dizer que são o melhor, com o melhor conteúdo. Ridículo!

Eles não tem ética e não são nada profissionais.

Bruno matou a pau!!! A OCT é a única organização que pode e deve bater de frente com esses caras, chega de nos calarmos diante de tanta sujeira e podridão.

Eu tmb tenho uma sugestão de pauta...

Por onde anda o Snorks?

Essa eu quero ver.

lleozinho
2 de novembro de 2008 17:31

SERÁ QUE O AUGUSTINHO AINDA PAGA ALUGUEL PRO BEIÇOLA?????????????

3 de novembro de 2008 09:48

SUGESTAO:
POR ONDE ANDAS DONA LUA ?

huaueuhauhuea

Guh
3 de novembro de 2008 13:32

Parabéns pelo texto está muito bem fundamentado!
O intelecto sempre vence a dissimulação!

Gustavo Mendes Sant'Ana

3 de novembro de 2008 13:52

Falou e disse Bruno...

Alessandro
3 de novembro de 2008 17:58

É isso mesmo moçada agora vamos bater de frente com essa praga anti- cultural... O.C.T neles...
Fora hell city e cubo....
Democracia sim, Ditadura jamais, Lutar pelo direito de ir e vir, viva cultura... viva o rock...
Parabéns O.C.T...

Anônimo
4 de novembro de 2008 11:01

De todas as bandas só Macaco Bong presta que mesmo sem o cubo teria conseguido ir longe do mesmo jeito pela capacidade musical dos caras agora tentam empurrar o The melt na boca do povo mas a banda é de mediana a ruim , NENHUMA OUTRA BANDA O CUBO CONSEGUIU ALAVANCAR SÒ SE BENEFICIOU DE TODAS AS QUE ACREDITARAM NELES...

PS Cadê Chilli Mostarda,Snorks Claudia Parachuts etantas outras, Vanguart na primeira oportunidade pulou fora... Cade Revoltz??? Será que esta se dando bem em SP ??? Só sobra o Macaco mesmo e mais nenhuma...

HOMEM PRIMATA
4 de novembro de 2008 21:54

JÁ ME DISSERAM QUE MACACO BONG É O MAIOR MICO DE CUIABÁ!!!!!!!!!!!!!
ACHO QUE ISSO É VERDADE

7 de novembro de 2008 19:10

Observação: para melhor visualizar o conteúdo das imagens, cliquem nelas!

abs!

Materias

Comentarios

Sponsors