Posted by Maximiliano Merege Categories: Marcadores: , , , ,




"Não estou aqui para ser polido"


Eis que o pai dos quadrinhos underground chega ao Brasil... Ele esteve na Festa Literária Internacional de Paraty, a Flip. “Extravagâncias” à parte, Robert Crumb é considerado um dos maiores gênios dos quadrinhos nos últimos 50 anos. Talvez o nome nem soe tão familiar para nosso amado público leitor, mas seu traço inconfundível, sim!
Bons exemplos não faltam.... a capa do clássico álbum “Cheap Thrills” da Janis Joplin foi feita por ele, e personagens do universo adulto das HQs como Mr. Natural e Fritz the Cat também são figurinhas carimbadas que saíram da mente desse autor.
Filho de um militar ultra autoritário e de uma dona de casa superprotetora, Crumb tinha tudo para acabar seus dias em um hospício, já que em sua casa ninguém funcionava bem da cabeça. No entanto, com ele a história foi muito diferente...
Feio, corcunda, magrela, vesgo e com um baita óculos fundo de garrafa, ele sempre foi a antítese do bonitão escolar, capitão do time de futebol americano que pegava todas as líderes de torcida. Tornou-se, sim, um legítimo cronista da realidade que o cercava, principalmente do sistema fascistóide que previa o “extermínio” de todos os nerds.
Ganhou notoriedade na década de 60, quando passou a desenhar, produzir e vender suas próprias revistas em quadrinhos – a Zap Comix, principalmente – pelas ruas de uma San Francisco povoada por bichogrilos e cantada por hippies notáveis.
Reza a lenda que tanto Robert Crumb, quanto seu parceiro Gilbert Shelton, mais o guitarrista Jerry Garcia, costumavam fumar meio quilo de maconha por vez para fazerem suas brainstorms e assim criarem suas histórias mirabolantes, mas o próprio Crumb já desmentiu isso por diversas vezes.

famosa capa do disco "Cheap Thrills" da cantora Janis Joplin


Ano passado, saiu em terras brasileiras seu álbum “Genesis”, a versão em quadrinhos para o famoso livro da Bíblia. Não obstante, Crumb já fez excelentes adaptações em HQ para obras de Franz Kafka, Charles Bukowski e Phillip K. Dick.
Dentre suas preferências, duas coisas são sagradas: música e mulheres. No tocante às mulheres, seu maior trunfo é fazer mulheres realmente fortes, dotadas de pernões, coxões, peitões, bundões e outros tantos atributos mais. Aliás, a perfeita oposição às insossas modelos que povoam as passarelas e o mundo da moda em geral.
Quanto a música, além de “quadrinizar” a vida de lendas do blues como Robert Johnson e Charlie Patton, tem lançado coletâneas com pérolas do mundo inteiro – retiradas principalmente de sua coleção de discos 78rpm – e, é claro, mantém um grupo de “chorinho” também.

Mulher Crumbiana

+ + + + + + + + + + + + +

Artigo originalmente publicado no Jornal Folha do Estado, Cuiabá-MT, domingo, 08/08/2010.


Hot Women - Women Singers From The Torrid Regions
Cedê organizado por Robert Crumb, só com músicas cantadas por mulheres das regiões quentes do mundo.

1 Comentario para CRUMB STUFF: o pai das HQs underground, no Brasil

9 de agosto de 2010 08:12

Massa demais esse artigo Max!!! Já estou baixando os cds! Parabéns!!!

Materias

Comentarios

Sponsors