Posted by Maximiliano Merege Categories: Marcadores: , , ,

Quando faltavam exatos 97 dias para que ele completasse 97 anos de seu nascimento (contudo, no trigésimo aniversário de sua morte), eis que recebemos uma agradável notícia: uma letra sua, inédita, apareceu!
Seu novo achado foi a letra de "Silêncio", que a princípio deveria ter sido musicada por Baden Powell, mas que graças ao eterno caos de suas coisas - uma bagunça generalizada entre seus livros, discos, escritos etc; nunca chegou a ver a luz do dia, não até que seus filhos "desenterrassem" uma folha com os seguintes versos: é o amor que te fala / é o amor que se cala / e que despetala / a flor do silêncio. Agora, ela se encontra aos cuidados de Edu Lobo, a quem fora confiado musicar a preciosidade. É só uma questão de tempo para seu lançamento (16 de outubro próximo, talvez).
Tudo bem que muito já se falou sobre sua figura por aqui, mas convenhamos que Vinícius de Moraes é sempre um assunto tão agradável quanto um bom vinho, ou até mesmo um daqueles raros prazeres da vida.
Nosso amado e eterno Poetinha foi tudo o que muitos de nós gostariamos de ser ou de ter sido. Até seus 33 anos conquistara muitas coisas e logo em seguida foi advogado, jornalista, correu o mundo, viveu a boemia, namorou demais, bebeu um monte e curtiu a vida adoidado. Agora digam: tem coisa mais rock'n'roll que isso?!
E o mais doido de tudo é que ele sempre se dava bem, e só foi bater as botas com quase 67 anos, depois de nove casamentos, cinco filhos e três netos.
Sua parceria com Tom Jobim é o maior marco da bossanova, e "Garota de Ipanema" então?! Disputa com "Aquarela do Brasil", de Ary Barroso, a medalha de ouro no top 10 das canções brasileiras mais lembradas mundo afora.
Em 1968, quando se apresentava em Portugal, recebera a notícia de que o governo, por meio do AI-5 o demitira do cargo de Embaixador Brasileiro em Lisboa. E para completar, uma turminha de manifestantes slazaristas faziam muito barulho do lado de fora. Vinícius fora orientado a sair pela porta dos fundos, mas como era teimoso, saiu pela frente mesmo! Não deu outra, encarou todo aquele povinho e conquistou seu silêncio. Tão logo proferiu os versos de "Poética I" ("De manhã escureço/De dia tardo/De tarde anoiteço/De noite ardo"), os estudantes estenderam-lhe suas capas ao chão, como um tapete, gesto este que na Europa tem um significado muito próximo ao de se honrar um mestre.
Outra das histórias curiosas acerca de seu nome é a de que nos idos da década de 60, a jovem estudante norteamericana, Stanley Ann Dunham, encantada por filme "Orfeu Negro" (filme de Marcel Camus, baseado na peça "Orfeu da Conceição", de Vinicius de Moraes), descobriu o seu amor em um estudante queniano, e assim gerou o mais icônico dos presidentes dos EUA. Trocando em miúdos, não fosse o nosso Poetinha, é possivel que o Obama jamais teria existido.
Enfim, mesmo tendo partido há exatos trinta anos, Vinícius de Moraes é uma presença constante em nossas vidas, como alguém que nunca de fato se foi. Desde as musicas infantis ensinadas desde o jardim de infância até canções de amor que nos fazem pensar mais e mais a cada vez que as curtimos, com ouvidos, coração e alma. Canções eternas enquanto duram...
Por hoje é isso, caríssimos, um grande abraço a todos e até a próxima.
.........................
Max Merege é fã do Poetinha desde criancinha!
Ah, sim! Acabou de sair o livro do Henrique, "Casa de Espelhos" ( (65)9605.4394 ).



+ + + + + + + + + + + + +

Artigo originalmente publicado no Jornal Folha do Estado, Cuiabá-MT, domingo, 11/07/2010.


Canto de Ossanha


A Casa


Medo de Amar


Garota de Ipanema, por Tom Jobim & Frank Sinatra

1 Comentario para VINÍCIUS DE MORAES: QUEBRA-SE O SILÊNCIO DE UM SILÊNCIO...

15 de julho de 2010 08:31

Parabéns Max! Muito boa a matéria! Vinícius de Moraes é um verdadeiro patrimônio nacional, do qual devemos nos orgulhar!!!

Materias

Comentarios

Sponsors