Posted by Bruno Rodrigues Categories: Marcadores: , , ,
Em entrevista cedida ao editoral do blog proclama rock, Bruno Rodriguês, vocalista da banda Tiasques, fala sobre a mudança de nome da banda, o envolvimento da banda na cena de música autoral matogrossense e os planos para o futuro. TIasques é uma das bandas mais conceituadas e criativas do Estado fazendo um rock com toques de metal e rock progressivo . Confiram abaixo essa entrevista lembrando que neste sábado, 28/11 tem Tiasques no Festival Proclama Rock. Confiram o myspace da banda: http://www.myspace.com/tiasques


Tiasques_Janeiro de 2008.


1. Em primeiro lugar gostaria de parabenizar pelo excelente trabalho da banda e pela classificação no Festival Coletânea de Bandas. Eu já gostaria de começar a entrevista com uma dúvida que, acredito, muitos devam ter: Antes a banda chamava-se Pleyades, ok? O que motivou a mudança para o nome “Tiasques”? Houve uma mudança de conceito, ou apenas do nome?

R: Exatamente! A banda, de maio de 2006 (mês de seu nascimento) a Setembro de 2008 se chamou Pleyades. Então, no período, tivemos a infelicidade de encontrar outras bandas como o mesmo nome ou grafia semelhante, e decidimos mudar. Fizemos uma reunião, todos os integrantes trouxeram propostas, e o nome Tiasques foi a vencedora (obs. minha proposta foi vencida,rsrs).

Bom, Tiasques é uma palavra Inca, que designou durante vários anos o corpo de "mensageiros" que mantinha interligadas as cidades do Antigo Império Ameríndio. Com efeito, cremos que da mesma forma , a música tem esse papel de ser "vetor" de mensagens, sejam elas de conteúdo político ou filosófico. No nosso caso, a grande maioria das músicas tratam de "assuntos políticos", mas não no sentido tradicional-clichê ("eleitoreiro" ou "nacionalista"), mas no sentido de "ação direta", "autonomia", numa conotação libertária...

2. Muito instigante! Bom, levando em conta o release da banda: ”Ufos, barricadas, cavaleiros de papel, filosofia, anarquismo, a mente humana e os mistérios do universo...”, atualmente, quais são os integrantes da banda e quais as influências musicais e das idéias citadas no release que cada um deles traz?

R: Dos 5 integrantes, 4 pertencem à formação original, lá de 2006 - fato que desqualifica qualquer falácia sobre a "instabilidade" da banda... Ou seja, o TIASQUES é formado por eu, Bruno P. Rodriguês (voz/teclado), Antonio Carlos (bateria), Alessandro Gomes (baixo/back-vocal), Juliano Serradilho (guitarra/back-vocal) e Maykonn Sauder (guitarra solo).

Decidimos tudo em grupo e cada um trás suas idéias. As letras ficam por minha conta e os arranjos, como criação de harmonia, por conta dos instrumentistas da banda. Não queremos criar um padrão ou homogeneizar as influências que cada um trás de suas experiências. Pelo contrário, queremos manter nosso som "colorido", como se fosse uma espécie de mosaico. Isso resulta em aspectos positivos e outros negativos. Para ressaltar um ponto positivo, se você pegar todas as músicas do Tiasques, vai perceber que elas são muito diferentes uma das outras. Um ponto negativo se encontra na exigência por parte de amigos e fãs da banda, para que construamos uma "identidade sonora", para tornar o som mais "comercial". Particularmente, acho que esse "mosaico" que queremos preservar, se constituiu como a nossa identidade (ou indentidades).

Finalmente, caracterizar o som da banda com todas essas palavras que deixamos na "release", é uma tentativa de fazer com que os expectadores vejam essa diversidade que falei acima.


3. Fico muito feliz pela banda estar concorrendo ao Festival Coletânea de Bandas e estarem, junto a OCT, promovendo um Festival em Cuiabá – O Festival Proclama Rock. Como os integrantes da banda veem essa questão de festivais e cena musical independente?

R: não poderia ser diferente, afinal, o TIASQUES foi uma das bandas fundadoras da OCT. Atuamos neste espaço, porque entendemos que nossas possibilidades de nos divulgarmos e de nos potencializarmos, se multiplicam com o trabalho coletivo, sério e transparente que a OCT mantém desde sua fundação, em março de 2008.

Nesse sentido, vejo o Festival Proclama Rock como a parte da "colheita" de várias coisas boas que foram plantadas lá desde a fundação da OCT. Podemos dizer, sem dúvidas, que muitas coisas boas estão por vir, pois nestes últimos anos, a despeito de qualquer conflito que tivemos com outros "grupos", estivemos plenamente focados na nossa aprendizagem (antes da OCT raramente nos colocavamos - agora falo enquanto banda - na função de produzir nossos próprios eventos), aproveitando as "criticas construtivas" que nos foram feitas, e fazendo das "criticas desconstrutivas" mais estimulo para continuarmos.

Não entramos na OCT e contribuimos para sua fundação esperando "resultados imediatos", como muitos que participaram dos momentos iniciais, e depois se afastaram, esperavam... Se ter uma banda que toca exclusivamente músicas autorais é difícil e demora muito para as pessoas assimilarem o teu trabalho, imagina o de um grupo cultural que se coloca a promover estas bandas. Portanto, fazer parte da organização do Festival Proclama Rock, é gratificante, não só porque este vem pra legitimar a OCT enquanto organização - com projetos de sustentabilidade de médio a longo prazo -, como também é a própria celebração da "arte daqueles que criam", como a banda Tiasques.


4. Finalizando, quais são os planos da banda para 2010?

R: o TIASQUES tem muitos projetos para 2010, como a gravação da tão esperada (sobretudo pela banda) demo, com músicas que verdadeiramente retratam o que é a banda hoje.
De 2007 - ano do lançamento do nosso 1° Cd demo "Sincréticos Ruídos" -, ao atual momento, deixamos na "gaveta" muitas composições, e pouco a pouco, a partir da entrada do novo guitarrista, Maykonn Sauder, começamos a tirá-las. Não gravamos essas músicas, ainda, por conta de vários motivos, mas principalmente devido à seleção do "Festival Coletânea de Bandas", que acontecerá nos meses de Dezembro e Janeiro, e tem consumido nossas energias e expectativas.

Também estamos aguardando a resposta de outro Festival, que poderá vir nas próximas semanas. Dependendo do resultado da competição no primeiro Festival, e da resposta, se for positiva, do segundo, gravaremos somente por volta de Fevereiro e março.

Em resumo, além do CD que certamente sairá ano que vem, pretendemos gravar um Video-Clipe e continuar mandando nosso "portifólio" para os diferentes Festivais no País, que são incontáveis!



* Entrevista realizada por Carlos B.



Fonte: FESTIVAL PROCLAMA ROCK BLOGSPOT

6 Comentario para "Engajamento artístico, político,cultural e muito rock’n’roll! Esta é a Tiasques!" (Entrevista com Bruno Rodriguês).

Brub
25 de novembro de 2009 09:05

massa a entrevista. jurava que tiasques era uma banda nova. ^^

Anônimo
25 de novembro de 2009 10:48

ESSA DE FESTIVAIS É VERDADE PORQUE ALGUNS DIAS ATRAS EU PESQUISEI E ACHEI UMA PORRADA.

O PROBLEMA É Q BANDA DE MT É MUITO PREGUIÇOSA. SE NAO É PELO CUBO A MAIORIA NÃO MANDA MATERIAL E DEPOIS FICA RECLAMANDO Q É EXCLUIDA DO PROCESSO.

Anônimo
25 de novembro de 2009 12:19

O baixista só tem aquela camiseta ML e com capuz? Desde que conheço a banda ele usa só ela. Sem contar o óculos colorido-pagodeiro de super mal-gosto.

Anônimo
26 de novembro de 2009 17:09

kkk a banda ficaria perfeita sem esse baixista prego.kkk

mas as musicas sao legais, a presença de palco tambem e o vocal e o novo guitarra sao muito bons.

descartado
28 de novembro de 2009 09:22

"Se ter uma banda que toca exclusivamente músicas autorais é difícil e demora muito para as pessoas assimilarem o teu trabalho, imagina o de um grupo cultural que se coloca a promover estas bandas. "


nisso vou ter que concordar...^^

descartado
28 de novembro de 2009 09:22

"Se ter uma banda que toca exclusivamente músicas autorais é difícil e demora muito para as pessoas assimilarem o teu trabalho, imagina o de um grupo cultural que se coloca a promover estas bandas. "

nisso vou ter que concordar...^^

Materias

Comentarios

Sponsors