Posted by Roberto A Categories: Marcadores: ,


Mais do que ler, convidamos você a escutar um poema musicado, de Cíntia, artista primorosa que vem se destacando a cada ano no Brasil.


PÉROLA NEGRA

Na fresta dos vidros
Reflexos de nós
A luz pedindo socorro
Nossos olhares combalidos
Um abraço sentido
No teu corpo mergulho, escorrego
A pérola negra no teu ouro
Engate, um vivo anel
Teus pelos eriçam, ondas plenas
Um turbilhão, paixão eminente, quente
Nos teus céus a pérola mareada vacila
Rasga seios e sorves minhas taças cristais
O champanhe e a rosa, bêbados de quereres
Banhando prazeres num “mar de afetos”
Tilintam nas horas da madrugada interminável
Levanta-me soberana, cintilo
Ofusca abajur
E teu cio resvala minha carne, ostenta luz
Sangra-me certezas, uma escrava
O pompoarismo dos nossos corações
Prendes, engoles meus colares em ais
O fio de meia, a seda desfia a hora
Arrebentação em cadências freme, domada
Descanso na espuma de teu ventre
Dormes solto em minha concha
Presos aos lençóis, mãos entrelaçadas
Suores sôfregos flutuam no quero mais
A cápsula de perfumes embaixo de nossas línguas
E a janela trinca
Sabor de sal no sol
Estrela Manhã
Morrendo em cansaço nossas luas
Beijos unem colares pelos ares
Em teu nó forte
De desejo
E sempre.


Cíntia Thomé
Novembro 2008

Ouça agora mesmo 'PÉROLA NEGRA':
http://recantodasletras.uol.com.br/audio.php?cod=17153


Formada em Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade (Casper Líbero/PUCC) e em Pedagogia. Professora universitária em Comunicação Social. Trabalhou no jornal Diário do Povo de Campinas. Foi jornalista responsável pelo house-organ da Cia. Leco de Produtos Alimentícios. Durante quase dez anos exerceu o cargo de Assessora de Imprensa e Relações Públicas (concursada) do Instituto Agronômico de Campinas e depois na Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo. Trabalhou como “free” na Editora Abril e Revista Claudia. Teve Galeria de Arte por mais de 10 anos. Ganhadora do Maior Prêmio pelo trabalho jornalístico sobre “Duque de Caxias e Integração Nacional” do Exército Brasileiro, em 1972. Recebeu entre outros, o Prêmio “Raimundo Corrêa”, novos Poetas Brasileiros, com a Poesia “Receita”, do Rio de Janeiro, RJ, e o Prêmio Brasiliense com a Poesia “Até Onde”. Vencedora do I Prêmio Literário de Poesia da Canon do Brasil em 2008, com “Eu Preciso Dizer a Deus” na 20 a. Bienal Internacional do Livro de São Paulo. Participou de inúmeras Antologias Poéticas.
Autora do livro lançado pela livraria Saraiva, em abril de 2008, Poemas 'Olhos de Folha Minha'

2 Comentario para OUÇA O POEMA 'PÉROLA NEGRA' DE CÍNTIA THOMÉ

27 de novembro de 2008 13:01

Ave, Cintia!
os que te amam, te seguem.
Bjs.

21 de dezembro de 2008 21:31

Roberto, agradeço tua delicadeza de gostar do que faço e sou, foi um ano de muita agitação e felicidade em minha vida e que me proporcoinou boa colheita e novos campos para plantio e vc foi uma mola propulsora disso, força tamanha a tua e espero que ainda e logo em 2009 façamos uma parceria musical bacana...E hoje li o salmo 36/37, abra a Biblia Nossa Senhora, salmo 36/37 leia muitas vezes, sou católica e acredito que só Ele revela coisas pra gente, as x não aceitamos, mas acredite, as x é para nos salvar de outros intempérios, problemas maiores...Cadê o nome?Força sempre e muito muito obrigado, vc é um Querido, abraço forte e forte abraço. Olhe a estrela, ela brilha sempre...Cintia Thome 19/12/08

Materias

Comentarios

Sponsors