Posted by Mr. BarNeY... Categories:

Desde os primórdios das discussões a respeito do conceito cultural é que vem se debatendo formas de repulsão a tentativas de Engenharia Social feita por alguns e que atinge grande parte da sociedade ao seu redor. Infelizmente, pelo fato de apenas uma pequena parte intelectualizada estar ciente de tais malefícios e atrasos que a imposição cultural carrega como consequências, uma minoria destes seres se utilizam deste tão absurdo e complexo segredo para atingir objetivos pessoais. É complicado debatermos a respeito deste assunto, pois cultura é como um sistema operacional com o seu código fonte quase imutável; A cultura deve estar guardada no HD cerebral na mesma parte onde estão mantidos os times de futebol, as crenças religiosas, o presente de natal. E como eu não sou o primeiro a pensar a respeito dos comandos quase que apaixonantes que a cultura nos impõe, com sensações prazerosas para quem ouve e promessas infindáveis (E que mesmo a médio prazo quase nunca se consolidam) peço que você pare e analise o que lhe trará evolução como artista. Precisamos todos chegar ao ponto interior em que entendamos que o artista precisa ser marginal na sua essência. Não sou contra a interação entre gêneros culturais ou até mesmo trabalho em equipe, mas não podemos abrir mão de nossas idéias para que provavelmente no futuro tenhamos mais oportunidades de nos expressar. Precisamos debater em condições iguais entre as classes artísticas para que realmente se perceba resultados duráveis. Já parou para pensar que provavelmente seus ídolos se tornaram ídolos por viverem o futuro no presente, e que por isso tiveram um passado brilhante?
Obviamente quando o artista toma o caminho da marginalização cultural, os "Engenheiros Sociais" da roda social em que o artista pertence não se sentem a vontade, pois o caminho traçado previamente e seguido por todos que o acompanham (Que fique claro que quase nunca o caminho do líder é o mesmo que de seus seguidores quando há o controle total da situação por apenas uma cúpula) encontra uma bifurcação. Quando aparece esta bifurcação, das duas uma: Ou a situação fecha a rua, ou coloca uma plaquinha de desvio. Ainda bem que com o tempo o sol desbota a placa.
Precisamos sentir prazer em fazer arte, e acho que o caminho da discussão e decisões em conjunto (Quando realmente existe um grupo que pensa em conjunto) é uma opção interessante, pois mostra caminhos honestos e que realmente fazem sentido, o que dá forças para que o artista continue se empenhando no seu papel, pois sabe que seu esforço não está sendo em vão.
Muitos procuram um lugar ao sol, o artista precisa achar a sombra.

1 Comentario para A cultura e a Dominação da Massa.

Anônimo
30 de maio de 2008 13:10

Belo Texto BarNey!!

Abraço.

Tenio.

Materias

Comentarios

Sponsors